Gravidez na Adolescência – como evitar, causas e consequências

Causas da gravidez na adolescência



As estatísticas são preocupantes, pois o Brasil ocupa a 7ª maior taxa de gravidez na adolescência da América do Sul, de cada 1.000 adolescentes na faixa etária de 15 a 19 anos, cerca de 68 delas, ficam grávidas.

É bastante diferença se compararmos com Países desenvolvidos. Um exemplo é nos Estados Unidos, onde a cada 1.000 adolescentes, cerca de 22 nessa faixa etária engravidam.

A América Latina é a região do mundo onde mais ocorrem gravidez na adolescência, conforme os dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). De acordo com o especialistas, as adolescentes que engravidam podem sofrem impactos bastante significativos na saúde e também em outras áreas da vida.

Causas da gravidez na adolescência

Geralmente as principais causas da gravidez na adolescência estão atreladas à cultura e também a falta de informação e dificuldade de acesso à métodos contraceptivos.

É importante lembrar que nos tempos de hoje, as adolescentes possuem mais campo para buscar a informação, seja por meio do diálogo ou até mesmo da internet onde há inúmeras formas de ler à respeito do assunto. Entretanto, o que ocorre  é uma cultura se instalou desde os tempos que essa informação era escassa. Muitas começam a pensar no assunto somente quando a menstruação atrasa.

É muito comum encontramos adolescentes que engravidam cedo seguindo os passos da mãe que também engravidou na mesma idade. Inclusive, um estudo realizado pela PUC do Paraná revelou que muitas adolescentes engravidaram porque realmente queriam, ou seja, não foi acidente.

Algumas adolescentes sonham com o casamento e a gestação precoce, pois acreditam que à partir disso, deixarão de ser meninas e passarão para a vida adulta. Isso  é resultado de um ciclo, é um fenômeno cultural.



Portanto, de acordo com os especialistas, as principais causas da gravidez na adolescência são:

  • Famílias com casos de gravidez precoce (ciclo cultural);
  • Baixa renda financeira;
  • Problemas no ambiente familiar;
  • Falta de informação sobre o uso de métodos contraceptivos;
  • Baixa escolaridade;

A gravidez na adolescência pode acontecer em todas as classes sociais, entretanto, os números são maiores em famílias de baixa renda.

Riscos na gravidez na adolescência

Riscos na gravidez na adolescência

Infelizmente, os riscos na gravidez na adolescência existem, alias, ter filhos nessa faixa etária é considerado de “alto risco”. Segundo os especialistas, a pressão alta chega a ser 5 vezes mais comum em gestantes adolescentes do que em  outras idades.

Os riscos de anemia também são outros dados preocupantes, já que esses problemas podem prejudicar a saúde da mãe e também do bebê que pode nascer de um parto prematuro porque não conseguiu atingir o peso recomendado.

A gravidez na adolescência aumenta os riscos da morte materna. Em alguns casos, os bebês tem uma saúde mais fragilizada, pois o corpo da mãe não estava completamente preparado para gerar uma vida.

Para algumas jovens, os problemas ainda podem ser maiores, especialmente se houver a rejeição do pai da criança e o medo de contar para a sua família. É um grande desafio para a idade, além disso, para assumir uma grande responsabilidade é preciso abrir mão de outros projetos de vida.

Em resumo, os riscos da gravidez na adolescência são:

  • Maior risco de mortalidade da mãe;
  • Saúde do bebê mais fragilizada;
  • Doenças como pressão alta e anemia na adolescente;
  • Má formação do feto;
  • Nascimento prematuro;
  • Necessidade de fazer cesárea na maioria dos casos;

Para reduzir as chances dos riscos da gravidez na adolescência é necessário realizar o  pré natal e seguir todas as recomendações médicas. Além disso, as mães jovens precisam de cuidados especiais, sobretudo na alimentação que exige um bom aporte nutricional para evitar a anemia e o mau desenvolvimento do feto.

Em alguns casos, o médico ginecologista poderá receitar suplementos. Por isso, as consultas e exames periódicos devem ser feitos com bastante rigorosidade.

Consequências da gravidez na adolescência

Consequências da gravidez na adolescência

Quando falamos em consequências da gravidez na adolescência, entram as possíveis complicações físicas, psicológicas e socioeconômicas. Afinal, a jovem mãe pode ter dificuldades e sofrer com crises emocionais, especialmente se ela não quiser o bebê.

Essa reação da adolescente pode se estender, sobretudo se for abandonada pelo pai da criança e não tiver apoio da família. Algumas inclusive tentam fazer o aborto clandestino ou tirar sua própria vida.

É uma forte pressão psicológica, onde surgem os medos, incertezas do futuro e especialmente, os riscos de abandonar os sonhos e projetos de vida. Muitas jovens, entram em depressão profunda e em uma fase de esgotamento físico e psicológico. Ongs como o Projeto Minina-Mãe cooperam para superarem estes desafios.

Dentre as principais consequências da gravidez na adolescência estão:

Físicas:
  • Riscos de aborto espontâneo;
  • Aumento de casos de pressão alta e anemia na mãe;
  • Parto prematuro;
  • Rompimento da bolsa precocemente;
  • Necessidade de fazer cesárea;
Emocionais:
  • Aumenta as chances de desenvolver depressão;
  • Reduz a auto estima da jovem;
  • Problemas no afeto entre mãe e filho;
  • Insegurança e medo da jovem;
  • Aumento de responsabilidades;
Socioeconômicas:
  • Problemas em continuar os estudos;
  • Dificuldades em ter uma profissão;
  • Preconceito da sociedade;
  • Abandono de sonhos profissionais;
  • Pressão para casar e assumir a responsabilidade de cuidar de uma família;
Entretanto, as consequências da gravidez na adolescência não atinge somente a gestante, mas sim, o bebê que também pode sofrer com:
  • Nascimento prematuro;
  • Peso muito baixo;
  • Má formação;
  • Fragilidade na saúde;

Por esses motivos que a gravidez na adolescência é marcada pelos especialistas como ” Alto Risco” para a mãe a para o bebê. É essencial o acompanhamento médico durante a gestação para reduzir esses impactos.

Como evitar a gravidez na adolescência?

Como evitar a gravidez na adolescência?

É um desafio para uma sociedade evitar a gravidez na adolescência, é claro que é preciso criar mais campanhas que priorizem o acesso à informação e a expansão de programas que incentivem o uso de métodos contraceptivos.

Se compararmos o acesso a informação de hoje com alguns anos atrás, podemos dizer que atualmente a mulher não deveria ter dúvidas de como evitar a gravidez na adolescência, pois existem muitas fontes que podem ser consultadas.

As pessoas estão mais abertas a falar sobre a sexualidade, as escolas tem abordado esse assunto e a internet é uma fonte inesgotável de conhecimento. Mas, então, por que a gravidez na adolescência ainda ocorre?

De acordo com os especialistas, é preciso uma mudança de cultura, as jovens precisam de orientação dentro de casa, os pais precisam falar mais abertamente sobre a sexualidade e os cuidados para não engravidar.

É preciso explicar às jovens que ter um filho exige dedicação, planejamento e sobretudo, um bom relacionamento para assumir uma relação madura e responsável.

Quando a jovem se sente confiante e vê que pode tirar as dúvidas com a família, ela certamente vai tomar as devidas precauções e mesmo que queira ser mãe, vai esperar a hora certa.

O dialógo entre a família é a melhor fonte para evitar a gravidez na adolescência. A informação é sempre bem vinda, dessa forma, a jovem vai se sentir mais segura em iniciar sua vida sexual sem riscos de engravidar precocemente.

É importante lembrar que inúmeros métodos contraceptivos são distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) gratuitamente e sem burocracia. Entre os principais estão: Pílulas contraceptivas, pílula do  dia seguinte, preservativo, diafragma, injeção e DIU.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *